Amostradores da qualidade do ar

Conforme Resolução nº 3 do CONAMA, de  28/06/90, há hoje no Brasil padrões e métodos de referência para os seguintes poluentes atmosféricos:

1- Partículas Totais em Suspensão (PTS): Método do amostrador de grande volume (AGV) ou equivalente. A ENERGÉTICA fabrica o AGV PTS. Além do amostrador, o usuário do equipamento precisa adquirir também calibradores e material de consumo.

2- Fumaça: Método da refletância da luz. A ENERGÉTICA fabrica o equipamento de amostragem, conhecido como OPS. Este aparelho serve também para medir SO2 (pelo método do peróxido de hidrogênio) simultaneamente com a fumaça. Além do amostrador, o usuário necessitará de um refletômetro, bem como de calibradores, filtros reagentes e vidraria de laboratório.

3- Partículas Inaláveis (MP10): Método de separação inercial/filtração ou equivalente. As partículas são medidas com o Amostrador de Grande Volume (AGV) para Partículas Inaláveis ou de até 10 mm (MP10). A ENERGÉTICA o AGV MP10, com cabeça de separação de fabricação própria.

4- Dióxido de Enxofre: Método da pararrosanilina ou equivalente. Utiliza-se, para a medição, um amostrador de Pequeno Volume (APV), modelo TRIGÁS, capaz de coletar até 3 gases simultaneamente. Além do amostrador, o usuário precisará adquirir também calibradores, filtros, reagentes e vidraria para laboratório.

5- Monóxido de Carbono (CO): Método de infravermelho não dispersivo. A ENERGÉTICA não fabrica nenhum amostrador, entretanto representa a empresa americana, a Teledyne-API, que o fabrica. Para ver mais detalhes, acessar a categoria Monitores Automáticos de Gases e Partículas.

6- Ozônio (O3): Método de quimiluminescência ou equivalente. A ENERGÉTICA não fabrica o amostrador, mas representa a empresa Teledyne-API, que o fabrica. Para saber mais, acessar a categoria Monitores Automáticos de Gases e Partículas.

7- Dióxido de Nitrogênio (NO2): Igual ao Ozônio. Não fabricamos o amostrador de referência (por quimiluminescência), mas representamos a Teledyne-API, que o fabrica. Um outra opção é utilizar o método equivalente do Arsenito de Sódio para medição de NO2. Trata-se de um método de absorção química, podendo-se então utilizar o equipamento TRIGÁS para as coletas. Além do amostrador, o usuário necessitará de calibradores, filtros, reagentes, e vidraria para laboratório.

Além dos instrumentos mencionados acima, a ENERGÉTICA fabrica e fornece outros equipamentos, como por exemplo o AMOFLUOR, para a determinação de fluoretos pelo Método 3268 da ASTM, variações do AGV PTS como o AGV PTS/CVV (com controlador de vazão), o HANDI-VOL, um instrumento de médio volume, portátil, próprio para diagnósticos e um amostrador de grande volume para a determinação de concentrações de partículas de até 2,5 micrômetros (2,5 mm), o AGV MP2,5.